Archive for the ‘Acontecimentos’ Category

“It’s your life, what you gonna do?”

Wednesday, July 10th, 2013

A gente consegue inspiração da onde menos se espera, nos momentos mais inusitados. Quando infelizmente aquele video no You Tube, aquele nascer-do-Sol ou até mesmo aquela palavra amiga já não surtam mais efeitos. Eu buscava uma inspiração para mim a um bom tempo. Admito que tive muita motivação para muitas outras coisas desde então, mas tamanha a ponto de vir escrever aqui, me faltava. É fácil notar isso pela data do meu último post.

Essa me pegou de surpresa, enquanto completava meu ritual de relaxar da melhor maneira possível em meio ao stress de terminar um trabalho e ir começar outro em outra empresa, cidade, país etc. Desta vez na banheira, já no minuto “vinteenaoseiquantos” de relaxamento, ouvindo musica, que tocou uma a qual dedico o título deste post.

Vou abrir um longo parênteses, um desabafo antes de continuar. Desde que parei de escrever aqui, realizei muita coisa, mas pouca em relação ao que queria. Voltei para o Brasil em 2011 convicto de que estava preparado para fazer meu sonho realidade, o plano antigo de abrir e chefiar meu próprio restaurante. Mas entre projetos, aventuras e desaventuras, ainda estou dependendo da cozinha da minha casa e de mim como cliente. Andei meio deprimido, perdi muita vontade, indignei, briguei… E saí outra vez do Brasil, por que não aguentava mais ver meus projetos parados e eu de mãos atadas. A meta era renovar as forças, as ideias, aprender mais e voltar mais preparado.

Fui a Madrid primeiro, auxiliei Alex Atala no palco em um dos maiores congressos de gastronomia do mundo, consegui minha vaga de estágio no El Celler de Can Roca, restaurante de três estrelas Michelin (premio máximo) que veio a ganhar o prêmio de melhor restaurante do mundo durante minha estada, e onde conquistei a responsabilidade de levar uma seção. Saí e fui ajudar a um restaurante com uma estrela Michelin a montar o menu de verão e agora aqui estou, pronto para outra experiência.

Posso dizer com uma certa segurança que hoje tenho um dos melhores Currículos do Brasil, senao o melhor. Mas CV por CV, não significa muita coisa, é um papel nostálgico com exagerados destaques que, quiçá, representa apenas um potencial. Existem inúmeros cozinheiros, ou aprendizes de, melhores do que eu, e eu tive a sorte de trabalhar com alguns deles. Hoje, não penso se estou ou não preparado, penso sim em continuar, em seguir com objetividade e coragem. Quando estiver preparado, e se estiver preparado, vou ter meu restaurante. Enquanto não o tiver, é porque não estarei preparado, mas no decorrer de tudo, vou estar sempre me preparando.

E agora, tomei uma decisão na minha trajetória. Decidi ficar por mais uma quantia X de semanas. Desagradei muitos dos que me esperam no Brasil e também outros que me apoiam nas minhas decisões, mesmo sendo a melhor decisão a ser tomada. Por isso, passei um par de dias muito triste…
Enfim, aqui estava esvaziando a cabeça quando ouvi a letra da musica, mesmo depois de escuta-la centenas de vezes. E me motivou, fez a ficha cair de que agora com recém 25 anos tenho as rédeas da minha vida, e eu sei que as decisões que tomarei para guiá-la serão as certas mesmo se estiverem erradas. Estou convencido de que os meus próximos passos são os que eu preciso percorrer e assim será até o dia em que eu não caminhar mais. Fiz um brinde na companhia dos meus santos, com uma boa Hoegaarden, a um grande final, ou a um outro começo promissor.

Ergui minha cabeça mais uma vez e me sinto forte de novo! Terei o apoio desses que sempre me apoiaram, dos meus pais “sempre amados e sempre iguais, pais”, da minha querida irmã, da minha namorada que tanto amo e dos meus amigos de toda a vida! E sigo com a coragem que cabe a mim e somente a mim criá-la e cultivá-la, com a motivação que me vier e a inspiração que me couber.

 

*Este texto é também dedicado a Jorge Ferreira, um amigo que me motivou muito,compartilhou sua sabedoria, me ajudou sempre que pode e que não pode viver para ver meu sonho se concretizando, o qual, também dedicarei muito a ele.

Ultranate – Free

“do what you want
do what you wanna do

when you are down
and you’re feeling bad
everybody has left you sad
feels like no one will pull you thru
it’s your life
what you’re gonna do do do
make that changes start today
start today
get out of bed
get on your way
on your way
don’t be scared
the truth’s right here
if you want you want it
reach for it

you’re free to do
what you want to do
you’ve gotta live a your life
do what you want to do
you’re free
you’ve gotta live your life”

Ultranate

A Declaração de Lima

Tuesday, September 20th, 2011

Meu primeiro post no Brasil. Com um certo lamento pelo atraso, já que eu cheguei a mais de um mês e nos poucos momentos que pude sentar e escrever, nao o fiz… Mas, de qualquer forma, escrevo com entusiasmo!

Estive recentemente em Lima, participando do evento Misturas. Com certeza o evento mais importante de Peru, país que tem como maior orgulho, a gastronomia.

Nesta edição, estava reunido o grupo dos cozinheiros mais influentes do mundo conhecido como G9 (Alex Atala representando Brasil, Dan Barber pelos EUA, Gastón Acurio Peruano, Heston Blumenthal inglês, Massimo Bottura italiano, Michel Bra françês, René Redzepi dinamarquês, Yukio Hattori japones e Ferran Adriá espanhol como presidente). Este grupo foi montado em San Sebastian, no país basco, onde sediou sua primeira convenção ano passado.

Esquerda para a direita, de cima para baixo: Dan Barber (EUA), Yukio Hattori (Japão), Michel Bra (França), Ferran Adriá (Espanha), Gastón Acurio (Peru), José M. Aizega, René Redzepi (Dinamarca), Alex Atala (Brasil), Massimo Bottura (Itália)

O grande fruto desta reunião foi a Carta Aberta aos Cozinheiros do Amanhã, um manifesto conhecido como A Declaração de Lima. Nele, os chefs passam uma bela mensagem aos novos cozinheiros em relação a preservação de culturas, preservação do meio ambiente e manutenção de valores sócio-economicos.

A declaração reafirma que a profissão de cozinheiro vai muito mais além do que uma mera prestação de serviço, ela envolve vertentes que influenciam ativamente no meio em que ele está envolvido. Um exemplo óbvio e simples é a opçao que um cozinheiro tem de trabalhar com um produto local, cultivado por um produtor local, incentivando a conservação e produção desse produto e fornecendo uma renda para esse agricultor e sua família, ou entao usar um produto de uma multinacional, como a soja, que incentiva a massificação desse produto, o desmatamento de áreas naturais para plantio, e o enriquecimento ainda maior dessa corporação.

Essas reflexões eu faço com respeito a cozinha, por ser meu meio, mas são reflexões que podem se aplicar em qualquer profissão. Uma vez que começamos a enxergar a imagem como um todo, podemos melhorar a vida de muitos, contribuir para um mundo melhor e mais sustentável, melhorando a nossa vida também.

Consideramos que a cozinha é algo mais que a resposta humana à necessidade de alimentar-se, é mais que a busca da felicidade. A cozinha é um poderoso instrumento de transformação e pode alterar a alimentação do mundo, graças ao trabalho conjunto entre os cozinheiros, produtores e comensais.”
A Declaração de Lima

 

Mistura. Pelos olhos da Folha de Sao Paulo