elBulli, onde a mágica fica curiosa…

Depois de falar tanto nos restaurantes que trabalhei e nao falar nada, vou dar uma atenção em cada um deles, como prometido. E para começar com a temporada, o primeiro episódio é logo o mais enfervescente! (espero não perder audiência nos episódios seguintes)

Primeiro alguns fatos, poucos, pois se listasse todos, passaria a noite em claro. Serei breve.

elBulli, dizem, é o melhor restaurante do mundo… OK, eu também digo isso. E acredito! elBulli foi, segundo a revista The Restaurant, eleito o melhor restaurante do mundo nos anos 2002, 2006, 2007, 2008 e 2009. Esteve entre os 10 melhores desde a criação do ranking. Possui avaliação máxima pelo guia michelin, 3 estrellas, desde 1997. As duas avaliações são as mais respeitadas do mundo. Mas no final, melhor ou pior é muito relativo e principalmente, uma questão de opinião pessoal. Segundo o próprio Ferran Adriá, que está entre as 100 pessoas mais influentes do planeta pela revista Time, e também é uma das pessoas mais inteligentes e cultas que conheço, não existe algo como melhor do mundo, e sim, mais influente! elBulli é o restaurante mais influente do mundo atualmente sem sombra de dúvidas. As criações e movimentos que lá surgiram se expandem por todo o mundo continuadamente.

A praia de Montjoi, onde fica o restaurante.

O restaurante está em um pedaço de paraíso na costa brava espanhola, Catalunya, encostado na França. A cidade mais próxima, Roses, não possui mais que 100 mil habitantes. A melhor maneira de chegar ao restaurante é ir de carro ou onibus a Roses (a cidade nao possui estaçao de trem), pegar uma estrada de 7km pela costa até a praia de Montjoi, onde fica o restaurante. Muito cuidado na estrada, pois é cheia de curvas e se de um lado tem pedras e montanha, do outro tem penhasco e mar.

Por temporada, em média

160 dias aberto
3 milhões de solicitações para reserva
7500 clientes
6000 solicitações para trabalho
1500m2 de jardím
250m2 de sala
350m2 de cozinha
15 mesas
200 receitas
50 pessoas por serviço
48 pratos servidos por pessoa
2496 pratos servidos por serviço
4 horas de serviço
1650 rótulos de vinho
55 tipos de taças diferentes
25000 garrafas
110 garrafas abertas por noite
300 produtos diferentes no dia
80 fornecedores
33 cozinheiros
7 confeiteiros
16 garçons
4 sommeliers
17 nacionalidades…

elBulli: a história de um sonho. Teaser

Para quem não sabe, ou ainda não percebeu, elBulli é um restaurante bem peculiar, por assim dizer. O restaurante abre apenas um serviço por dia e por 6 meses no ano. No semestre que está fechado são criados os pratos para os próximos 6 meses aberto. A uns anos atrás, a média de espera para uma reserva era de dois anos. Quem consegue entrar, tem a sensação de ganhar na loteria. E sim, um jantar dura 3 a 4 horas e cada pessoa come mais ou menos 48 pratos! Não há opções de cardápio, o cliente chega e come o que foi preparado especialmente para ele sob as cautelas de intolerância e gosto. Nesta última temporada (que é a última da história, mas isso é assunto para outro post), um jantar custa pouco mais de 220 euros per capita, isso significa menos de 4,4 euros por prato no melhor e mais cobiçado restaurante do mundo! Convenhamos, quanto você paga para comer no “Entra Rico e Sai Pobre Juan”?

Um dos 48 pratos do menu, o "ravioli que desaparece" literalmente desaparece ao colocar na boca, liberando todo o recheio e dando a impressão de que a massa que o envolvia, nunca existiu.

Agora, na minha opinião, emotiva e sincera, elBulli é mais que um restaurante, é algo ímpar, único e incomparável. É um lugar íncrivel. Lá você se emociona cada dia e vê coisas que não acredita. Para mim, que estava lá todo dia, nos bastidores do espetáculo, era sempre um entusiasmo e cada dia era raro.  Só ao ver a reação das pessoas entrarem na cozinha antes de irem comer, já me fazia sentir a pessoa mais sortuda do mundo por fazer parte daquilo. Por que, no final das contas, nao se trata apenas de um jantar, e sim de uma grande experiência: A Experiência elBulli.

… Comecei a escrever o que seria a Experiência elBulli na minha opinião e com relatos de clientes, mas começou a ficar muito grande e decidi dedicar um post apenas para isso! … (Y)

É claro que nem tudo são rainbows and butterflies e por mais que estivesse vivendo um sonho, passei por muitas dificuldades e apertos nesse tempo em Roses. Não só isso, a pressão de se trabalhar no melhor restaurante do mundo dia após dia antecipou minha calvice… A busca pela perfeição era o cotidiano, e caso não alcançássemos (raras exceções) o paraíso virava inferno. Absolutamente TUDO tinha que estar perfeito, de temperatura/tempo de cocção, até número e local de gotas de azeite que ia em cada prato. Tínhamos a atenção de observar a humidade na cozinha para definir preparos e montagens ao momento. Tudo era propositado, nada por acaso.

A vida dos trabalhadores não era para fracos, vi gente desmaiando durante o serviço, outras tendo ataques do coração, companheiros quase perdendo a mão em maquinas complexas… Mas o aprendizado de todo esse tempo, é impagável. O que se vive na cozinha do dia a dia do elBulli não se vive em nenhum outro lugar. O crescimento que atingimos compensa. O prestígio em ter elBulli na carreira e todas as portas que se abrem por isso fazem com que o preço que pagamos seja barato.

Por mais que meu tempo lá tenha acabado, sempre me sentirei parte do elBulli. E sempre carregarei muito orgulho disso. Eu, e todos os outros que vieram antes de mim, ao menos, deveriam. 

Para o ego.

 

Alternativo: http://popchassid.com/wp-content/uploads/2010/11/bttf3_doc_marty_1955-1024x546.jpg

Tags:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *